sexta-feira, 16 de abril de 2010

Imprudência sem limites

Ontem durante a aula teórica da auto escola, teve um acidente horrível entre duas motos na frente da escola. Como 90% dos acidentes de trânsito, por falha humana. O piloto de uma das motos tentou ultrapassar pela contramão e bateu DE FRENTE com uma moto que vinha na faixa correta e na velocidade correta. Uma vítima da imprudência alheia.

Minha professora, que é socorrista, correu na hora para tentar prestar os primeiros socorros básicos até que o SAMU chegasse. Problemas como hemorrágias externas, obstrução de vias aérias, entre outros, podem ser sanados no próprio local por pessoas que tenham conhecimento de primeiros socorros e sem que tenha necessidade de tirar a vítima do local (coisa que só é permitida mediante riscos como incêndio, por exemplo). E muitas vezes salvam a vida.

Foi uma aula prática, infelizmente. Estavamos na aula de direção defensiva. Tivemos aulas de primeiros socorros no dia anterior. É muito triste ver como as pessoas são imprudentes com a sua vida e com a vida alheia. Pelas normas do DETRAN, estamos tendo um total de 12 aulas teóricas, cada uma com 4h de duração, em dias consecutivos. Tudo isso para que se formem condutores mais conscientes de que um veículo é uma arma e tira milhares de vidas por dia. Estatísticas recentes do CONTRAN apontam que temos 01 morte por minuto no trânsito brasileiro. Uma estatística absurda, inaceitável!

E o mais absurdo nisso tudo é o fato de que mesmo com todas essas mortes, as filas de transplantes de órgãos no Brasil é imensa, que as pessoas não autorizam a doação de órgãos!! Avisem aos seus parentes que são doadores, os orientem da importância desses orgãos e se sintam pessoas extremamente privilegiadas por não precisarem entrar em uma fila dessas e esperar 5/6 anos por um órgão, quando você aguenta a espera. Sejam conscientes no trânsito e com a vida. Precisamos de cidadãos esclarecidos para que as mortes no trânsito diminuam e para que, mesmo que isso não aconteça, para que essa estatística absurda pelo menos se converta em uma diminuição na quantidade de vidas perdidas em filas de transplantes.

Eu vou fazer a minha parte no trânsito e faço minha parte usando esse meu pequeno espaço para tentar convencer alguém a fazer o mesmo.

9 comentários:

Max Psycho disse...

Sem querer ser o dsmancha prazeres da turma, mas este seu discurso vai mudar, voce pensa assim agora, mas quando tiver dominando bem a direção voce vai achar que todos te atrapalhm, que não andam, que deveriam deixar o carro em casa, vai por mim, depois ce me fala, já assistiu aquele desenho do Pateta que tem o Sr Motorista e o Sr Pedestre, infelizmente é daquele jeito que acontece, é um fato inexplicavel mas é real, bjus moça e boa sorte no exame de carta

Flor disse...

Oii (:
Meu, que merda hein ? Eu ainda nem comecei a tirar minha carta, não vejo a hora, porém é uma resposa enorme com a minha vida e a vida alheia.
Espero que ao contrario doq disse o Max, você continue pensando assim !
Beijão

Erica Ferro disse...

Infelizmente a maioria das pessoas se sente como estivesse numa corrida automobilística; não entendem que estão num trânsito e que, se não se "comportarem" devidamente, estarão colocando a vida delas mesmas como de outras pessoas em risco.
Inconsequência pura!

Ótimo post, Nina. ;*

Luaniinha Lacerda disse...

ah que pena. Eu quero doar meus órgãos, pois eu sei que se um dia eu precisar ( mais tomara que nãão) !

Juliana Mendes disse...

ooh..
eu odeiooo moto...
no inicio sempre quis ter uma, assim que percebi que eh uma arma..
:S

velho, eu vejo acidentes com motos quase todos os dias..
poxs..
é foda..
detesto detesto..
mantenho-me afastada...
:S
outro dia vi um cara tentar costurar numa avenida, ele jogou o fundo da moto em outro carro,
--'
não entendi nada, se eu fosse o dono do carro eu ia chingar até outras horas..
:S

Dany disse...

Legal sua iniciativa... todo mundo tem consciência do perigo que é o trânsito, mas sempre se acham superiores ou imunes, que vai acontecer com todos, menos consigo próprio... mera ilusão!
Meus pais sabem que sou doadora de órgãos, só não sei se onde vivo, tem suporte para transplantes ou retiradas de orgãos pra outros locais... =/

Bjos

Bill Falcão disse...

O mais incrível é que o acidente com as motos foi em frente a uma auto-escola, né, Nina?
Eu sempre tive medo de trânsito. Juntando isso com minha mania (frustrada) de querer ser milionário, pensei: "Já que não posso ter um Lamborghini, só vou andar de táxi e ônibus." Hoje, também de metrô. Nunca aprendi a dirigir. Nem quero.
Obrigado pela presença lá em nosso niver.
Bjooo!!!

Ágatha Alves disse...

Pois é nina, ha tanta imprudencia.
Eu até chegar ao meu trabalho vejo tanta, terrivel.
Eu quando tirar a minha tentarei ser prudente, n to afim de prder a minha vida em um acidente assim.
Eu doarei meus orgãos quando morrer, acho isso uma atitude muito legal.
Ajudar pessoas que preciasam realmente para viver, já que morremos mesmo né.

Beijos

disse...

É irônico que tenha acontecido bem quando vocês estavam aprendendo sobre isso... E triste pensar que mesmo com tanta explicação, tanto ensino, as pessoas ainda agem sem pensar... Ótimo texto. Beijo.